De ponta a ponta

Lewis Hamilton fez o dever de casa, na prova mais sem graça da Fórmula 1, o inglês venceu com sobra (mais de 10 segundos à frente do segundo colocado). O pódio foi composto ainda, por Kimmi Raikonen e Sebastian Vettel.

f1-20130728-size-598

 

Hamilton conseguiu um feito difícil na Hungria, vencer largando na pole, a corrida tinha uma mística da maldição da pole. Porém nos últimos dez anos 3 pilotos conseguiram quebrar esse tabu: Fernando Alonso em 2003, Michael Schumacher 2004 e Hamilton 2007 e 2013. Outro feito alcançado pelo inglês foi se igualar a Schumacher conquistando 4 vitórias nessa pista.

A corrida foi mónotona, como sempre na Hungria, que é uma pista sem pontos de ultrapassagem. Quem se deu bem foi o finlandês Raikkonen que chegou em segundo na prova e tomou a segunda posição de Fernando Alonso no campeonato de pilotos, o espanhol chegou em quinto. O brasileiro Felipe Massa teve problemas logo na primeira curva, quando foi disputar posição com o alemão Nico Rosberg o brasileiro levou a pior e perdeu um pedaço do bico dianteiro do carro, com todos esses problemas Felipe ainda chegou em oitavo e assumiu a sétima posição no campeonado de pilotos.

Pos No Piloto Equipe Tempo V VL Grid Pts
1 10 Reino Unido Lewis Hamilton Alemanha Mercedes 01:42:29.445 70 48 1 25
2 7 Finlândia Kimi Raikkonen Reino Unido Lotus +10.938 70 0 6 18
3 1 Alemanha Sebastian Vettel Áustria Red Bull +12.459 70 10 2 15
4 2 Austrália Mark Webber Áustria Red Bull +18.044 70 10 10 12
5 3 Espanha Fernando Alonso Itália Ferrari +31.411 70 0 5 10
6 8 França Romain Grosjean Reino Unido Lotus +52.295 70 2 3 8
7 5 Reino Unido Jenson Button Reino Unido McLaren +53.819 70 0 13 6
8 4 Brasil Felipe Massa Itália Ferrari +56.447 70 0 7 4
9 6 México Sergio Pérez Reino Unido McLaren +1 volta 69 0 9 2
10 16 Venezuela Pastor Maldonado Reino Unido Williams +1 volta 69 0 15 1

Esse quadro mostra os dez primeiros que completaram a prova de ontem.

A situação no campeonato ficou a seguinte: 1º) Sebastian Vettel 172 pontos; 2º) Kimmi Raikonen 134 pts; 3º) Fernando Alonso 133 pts; 4º) Lewis Hamilton 124 pts; 5º) Mark Webber 105 pts.

Saiba mais sobre a última corrida aqui.

Agora a Fórmula 1 entra de férias e só volta a ter disputa nos dias 24 e 25 de agosto no GP de Spa Francochamps na Bélgica.

Por Lucas Andrade.

Fangio “o Manco”

Juan Manuel Fangio nasceu no dia 24 de junho na província de Buenos Aires conhecida como Balcarce conhecido como “El chueco” (o manco) devido ao posicionamento de suas pernas. Seu falecimento aconteceu em 17 de julho de 1995, quando já tinha 84 anos. Sua primeira corrida na F1 aconteceu em 1950 no primeiro GP da fórmula 1 o de Silverstone, na Inglaterra e sua primeira vitória veio no mesmo ano, em Mônaco. Sua última vitória foi em 1957 no GP da Alemanha e a última corrida na França em 1958.

foto_tapa

Carreira: Juan Manuel Fangio disputou 51 Grandes Prêmios dos quais conquistou 24 vitórias, 29 poles positions, 23 recordes de volta mais rápida, cinco títulos mundiais, sendo quatro consecutivos (1951, 1954,1955, 1956 e 1957), conquistou também dois vices em 1950 e 1953. O argentino disputou a F1 por quatro scuderias diferentes, sendo elas: Alfa Romeo (1950-51), Maserati (1953-54; 1957-58), Mercedes (1954-55) e Ferrari (1956), em 1952 Fangio disputava o campeonato pela Maserati, quando sofreu um grave acidente e ficou parado durante quase todo o mundial. Ele é detentor da marca histórica de ter conquistado o mundial por 4 scuderias diferentes.

O argentino é o segundo maior vencedor da história da F1 ficando atrás apenas de Michael Schumacher, que o superou 46 anos depois de sua última conquista, o alemão chegou ao 6º título em 2003. Os pilotos que Fangio mais admirou após encerrar seu ciclo na competição foi o inglês Jim Clark e o brasileiro Ayrton Senna.

Se quiserem curtir um on board e pegar uma carona com Fangio clique aqui.

Este vídeo é da última vitória de Fangio. Apesar de estar sem legenda dá para entender perfeitamente.

Por Lucas Andrade

No ritmo do anfitrião

No Grande Prêmio da Alemanha, que aconteceu ontem no circuito de Nurburgring, teve pela primeira vez o atual tricampeão vencendo em casa. Vettel largou em segundo, porém na excelente largada ele já tomou a ponta de Lewis Hammilton que caiu para terceiro. Daí pra frente o alemão ficou tranquilo sem ameaças na liderança e venceu após completar as 60 voltas com um tempo de uma hora, quarenta e um minutos e quatorze segundos.
Fazendo uma corrida muito boa o finlandês Kimmi Raikonen chegou em segundo, pouco mais de um minuto atrás de Vettel. Seu companheiro o francês Grosjean completou o pódio colocando 2 carros da Lottus entre os 3 primeiros. O brasileiro Felipe Massa teve problemas pela segunda corrida consecutiva, desta vez nos pneus trasseiros. O brasileiro disse em entrevista, que as rodas travaram e quando ele tentou corrigir o problema acabou rodando na pista.
Uma cena inusitada no GP aconteceu, quando Jules Bianchi da Marussia abandonou a corrida e fez o procedimento padrão de quem abandona (deixar o carro em ponto morto) o carro atravessou a pista sozinho correndo o risco de bater nos outros que continuaram a corrida.
Com os resultados de ontem Vettel aumentou sua vantagem em relação à Fernando Alonso para 34 pontos, ficando com 157, enquanto o espanhol ficou com 123, Raikonen foi para o terceiro lugar ficando com 116 pontos. Para conferir a classificação completa entre no site

Imagem
Por Lucas Andrade.

Polêmica no berço da F1

O grande prêmio da Inglaterra foi mais um recheado de emoções, o alemão Nico Rosberg aproveitou-se dos percalços e venceu a segunda corrida na temporada.

201363014492_171966942_II

Nico largou na segunda posição e permaneceu na mesma até faltarem 10 voltas para o fim da corrida, quando o então líder Sebastian Vettel teve problemas no câmbio do RB9 e acabou abandonando a prova, deixando o caminho livre para a segunda vitória do alemão na temporada. Lewis Hamilton, que havia largado na ponta teve problemas com os pneus, ele foi só mais um a ter problemas, com os compostos nesta corrida, mesmo com todos os problemas o inglês, que corria, em casa, terminou a corrida em quarto. O pódio terminou com o australiano Mark Webber em segundo e Fernando Alonso em terceiro.

Felipe Massa largou na décima primeira posição e antes do fim da primeira volta já estava entre os 5 primeiros, porém os pneus não ajudaram e Massa teve que reiniciar sua corrida de recuperação, no fim ele ainda chegou entre os dez primeiros cravando a sexta posição.

1) Rosberg; 2) Webber; 3) Alonso; 4) Hamilton; 5) Raikkonen; 6) Massa; 7) Sutil; 8) Ricciardo; 9) Di Resta; 10) Hulkenberg. Esses foram os dez primeiros do GP de Silverstone. A melhor volta ficou por conta do australiano Webber, que cravou 1:33:401.

A classificação no campeonato de pilotos continua com Vettel em primeiro, Alonso em segundo e Kimmi Raikkonen em terceiro.

A polêmica: Pneus Pirelli

Muitos problemas com os compostos utilizados em Silverstone pode acarretar em um boicote coletivo dos atletas da F1. Massa foi um dos que mais sofreu com os problemas causados pelos pneus e em entrevista ao site MSN disse: “Não quero dizer isso agora, mas, para a nossa segurança, é algo [boicotar o GP da Alemanha] que podemos fazer”.Resta saber se a FIA vai concordar com tal situação.

Boa noite a todos e semana que vem tem mais.

20136302344496_171980149_II

Por Lucas Andrade

Quase perfeito!

285483-970x600-1

 

Que a vitória de Sebastian Vettel, no GP do Canadá foi incontestável, disso eu não tenho dúvida. O alemão já tinha conseguido bons resultados nos treinos livres, apesar de não ter sido o primeiro em nenhum deles, no treino oficial porém a história foi diferente, Vettel conseguiu ser o melhor do sábado fazendo o tempo de 01:25:425, em um treino complicado debaixo de muita chuva, quem não se deu bem por conta da forte chuva foi o brasileiro Felipe Massa.

No domingo largando na pole, a RBR de Vettel se manteve no primeiro lugar, de ponta a ponta, mais uma vitória do alemão, que segue líder do campeonato, os outros lugares do pódio foram ocupados por Fernando Alonso e Lewis Hammilton, respectivamente. Outros destaques da corrida ficaram por conta dos pilotos Felipe Massa, que largou em 16º e chegou em 8º, com uma ultrapassagem fantástica em cima de Kimmi Raikonen, já no fim da prova. O Finlandês, por sua vez também teve destaque igualando-se ao mito da F1 Michael Schumacher no número de corridas seguidas na zona de pontuação. A melhor volta da corrida ficou para o Australiano Mark Webber, com 01:16:182.

O campeonato segue com Sebastian Vettel em primeiro, com 132 pontos, Fernando Alonso 96 e Kimmi Raikonen 88. Já no mundial de construtores a RBR possui 201 pontos, seguidos por Ferrari e Mercedes com 145 e 134 pontos respectivamente.

 

Destaque Negativo

O ponto negativo da corrida ficou por conta do falecimento de um fiscal de prova, o trabalhador acompanhava a remoção da Sauber de Estebán Gutierrez, que tinha saido da prova na última volta, enquanto o carro era removido por um guindaste, o fiscal que estava à frente do carro tropeçou e acabou sendo atropelado pelo colega de trabalho, ele ainda foi levado para o hospital do autódromo, mas não resistiu aos ferimentos, foi a primeira morte desde o GP da Austrália em 2001, quando um outro fiscal foi atingido por destroços de um carro batido. Ossos do ofício, a F1 é um esporte de alto risco, tanto para quem corre, quanto para os que trabalham nos bastidores.

285584-970x600-1

 

Por Lucas Andrade

Duas gerações, dois campeões

Bao tarde amigos do epidemia, hoje venho contar para vocês, um pouco da vitória do alemão Nico Rosberg no último domingo em Mônaco. O que ela tem de diferente? Seria só mais uma vitória de um alemão, porém esse sobrenome já apareceu no primeiro lugar no GP de Mônaco, o pai de Nico, o também alemão Keijo Rosberg, mais conhecido como Keke Rosberg.

128983537__417058c

 

Há 30 anos o patriarca da família Rosberg vencia sua segunda corrida da carreira, Keke tinha conquistado o mundial de 1982 vencendo apenas uma corrida, no GP da Suíça, essa vitória veio nas ruas de Monte Carlo.

Coincidência ou não, quis o destino que a segunda vitória de Nico Rosberg também fosse em Mônaco, na corrida disputada no último domingo o alemão sobrou na pista, largando em primeiro teve só de controlar as paradas nos boxes, para garantir o êxito na prova.mercedes-amgs-nico-rosberg-after-winning-the-2013-formula-one-monaco-grand-prix_100428323_m

Uma diferença na carreira dos pilotos da família Rosberg é que o pai Keke já possui um título mundial enquanto o filho ainda busca esse sonho, hoje Nico é o 6º com 47 pontos, não vai ser tarefa fácil chegar nos 107 pontos de Sebastian Vettel, mas nada é impossível.

Abraços galera.

Por Lucas Andrade.

7 vezes Schumi

Fala galera, hoje nós vamos falar sobre o detentor da grande maioria dos recordes da Fórmula 1.

No mundo do futebol, o número 7 foi usado por inúmeros craques: Luís Figo e Cristiano Ronaldo, ambos da seleção portuguesa, Garrincha, Jairzinho, Edmundo e Bebeto, jogadores da seleção brasileira.

No circo da Fórmula 1, o 7 representa o número de títulos do maior campeão da história da competição, Michael Schumacher.

michael_schumacher_f1_profile

O alemão surgiu no mundo da F1 no ano de 1991, pela Jordan, no Grande Prêmio da Bélgica. Devido sua boa colocação no grid, o chefão Flavio Briatore demitiu o brasileiro Roberto Pupo Moreno e contratou Schumacher, formando dupla com o tricampeão Nelson Piquet, na Benetton. Nas temporadas de 1992 e 1993, Schumacher venceu uma corrida, terminando em terceiro e quarto nos respectivos campeonatos.

No ano seguinte,1994, foi campeão pela primeira vez de forma polêmica ao bater na Williams de Damon Hill. Em 1995, o alemão conquistou seu bicampeonato também pela Benetton. Um ano após foi contratado pela Scuderia Ferrari, mas o desempenho do carro vermelho durante a temporada não foi nada bom. Em 1997, outro ato polêmico do Kaiser ao jogar seu carro em cima do canadense Jacques Villeneuve, piloto da Williams, na disputa pelo troféu da temporada. O resultado foi a perda do título para o canadense e a eliminação do campeonato. Nas temporadas de 1998 e 1999 a disputa ficou entre Schumacher e Mika Hakkinen, Mercedes. Em ambos, o finlandês levou a melhor, sendo que no ano de 99, o alemão quebrou a perna em um acidente no Grande Prêmio da Inglaterra, deixando assim o posto de candidato ao título, que passou a ser de seu companheiro de equipe, o irlandês Eddie Irvine.

Eis que nos anos 2000 começa a hegemonia Schumacher, conquistando 5 títulos em sequência: 2000, 2001, 2002, 2003, 2004. E conquistou uma gama de recordes: maior número de vitórias, mais pole-positions, voltas mais rápidas, hat-tricks (pole-position, vitória e melhor volta numa mesma corrida), número de pontos. E o mais importante de todos, mais campeonatos conquistados, chegando ao hepta.

Por Caio Silveira.